22.12.14

22 de dezembro I JOÃO CATALÃO


artista. João Catalão
título. O Caminho das Montanhas que se Movem


[peça à janela. ninho com fio azul incorporado pelos pássaros, chávena de chá, caixa de sapatos utilizada em performance de dança, dois botões de uniforme do antigo colégio Almeida Garrett no Porto, anilhas de pombos-correios dos últimos 12 anos, entrelaçamento, transfiguração e paisagem coreográfica] 


 Hoje, dia 22 de dezembro, desvendamos uma nova janela deste Calendário do Advento. Pelo quarto ano, o artista João Catalão, regressa a esta janela da cidade. 

 Mas antes de revelarmos esta sua nova história, é bom recordar que em novembro de 2013, quem esteve atento a esta janela, foi capaz de deslumbrar uma instalação individual do artista. Nessa altura, à janela, a instalação intitulada, "Homing by sea - Chegar a casa por mar"lançou assim mais linhas na narrativa poética que João Catalão tem escrito ao longo destes anos. Nessa altura o artista recriou um enorme navio à janela. A sua chegada foi iluminada pela luz de um farol. Uma luz que indicou também para todos os que passavam na rua, a chegada deste navio a este lugar. Quem diria que afinal o mar podia chegar até à cidade de Braga? Este navio transportou histórias de uma vida, da sua vida, num mar imenso de significados. 

 Para esta nova edição do Calendário do Advento, João Catalão habita esta janela, com a peça "O Caminho das Montanhas que se Movem". Um conjunto de objectos compõem esta história. Um ninho. Anilhas de pombos. Uma chávena. Dois botões. Uma caixa de sapatos. Objectos comuns mas que agregam em si uma dimensão para além daquela que percepcionamos com os sentidos "comuns". Segundo o autor, "Este trabalho é antes de tudo uma mudança. A passagem de um estado de afastamento para um estado de aproximação anterior. É uma retrospectiva simbólica e ao mesmo tempo a finalização de um percurso pessoal. É um reassumir no presente a força e o sorriso original. Estava tudo lá!" E todas as peças trazidas pelo artista até este lugar da cidade, formam um todo de significado. Uma narrativa visual construída através da composição poética que cria com estes seus objectos.

by vânia kosta


*** 

[João Acciaiuoli Catalão [João Foldenfjord] é artista, curador e programador cultural. Nasceu em Coimbra em 1961 e é licenciado em Gestão de Empresas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde frequentou ainda a licenciatura em Biologia Marinha e a Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Viveu no Lobito e trabalhou na área de Estudos de Mercado [Research Executive] no Brasil, Londres e Lisboa. Iniciou um projecto artístico pessoal a partir do pombal do Museu dos Biscainhos quando regressou a Braga em 2001. Organiza e participa desde então em diversos projectos artísticos e culturais. Colaborou, entre outros, com a Universidade do Minho, Imerge - Ideias Emergentes, Galeria Show me, Civitas Braga, Centésima Página, Sindicato de Poesia, Cineclube de Joane, GNRation, Mapa Use It Braga e Escola de Dança Arte Total. Faz parte da direcção artística da Guelra – Laboratório de Transcriação Coreográfica. Foi entre Dezembro de 2009 e Setembro de 2012 programador e designer da Clarabóia - Agenda de Identidade e Cultura da Casa do Professor. O seu trabalho artístico, com múltiplas interligações narrativas e conceptuais e ênfase nas dimensões éticas, poéticas e coreográficas, constitui no presente a base de desenvolvimento do projecto Escola de Navios - Lindves Homing Museum.]

Sem comentários:

Publicar um comentário