21.12.14

21 de dezembro I MANDRÁGORA


autor. Companhia de Teatro e Marionetas de Mandrágora
peça. Marioneta "sapateiro",  da peça "O auto da barca do inferno", de Gil Vicente (2005)


 O Teatro e Marionetas de Mandrágora é uma companhia profissional de teatro de marionetas com direção artística de Clara Ribeiro e Filipa Mesquita e direcção plástica de enVide neFelibata

 A Companhia foi fundada em 2002, data que marca o início da nossa atividade profissional. Na simbiose de uma linguagem simbólica, que conjugue o património e legado tradicional e o pensamento e universo contemporâneo, nem sempre pacífica surge um elemento fundamental, a marioneta. Este elemento apoia-nos na procura de uma identidade cultural própria. O nosso objetivo é o de descobrir as potencialidades estéticas, plásticas, cénicas e dramáticas da marioneta em si mesma, como em relação com o ator e nessa descoberta explorar a dramaturgia que nos caracteriza. O de explorar a cultura e as culturas, a crença, a lenda, aliando-se à urbe, à exploração tecnológica, à velocidade da aldeia global. 

 Ao longo do nosso percurso artístico têm sido diversas as propostas quer nos públicos; adulto, jovem, escolar e familiar; quer na formação de base ou especializada. Uma das nossas grandes apostas é a digressão nacional e internacional dos projectos.
 Descentralização, trabalho comunitário, criação em parceria e a valorização social e inclusiva são preocupações preponderantes no nosso quotidiano. 

***

AUTOR. 
Companhia de Teatro e Marionetas de Mandrágora

TÍTULO DA PEÇA. 
Sapateiro

ESPECTÁCULO. 
Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente

DATA DE CONSTRUÇÃO. 
2005
M/8
60 mns
8ª produção da companhia

SINOPSE.
Revisitar o Auto da Barca do Inferno é uma recorrência já por si clássica. Consideramos que a simbiose entre actor e marioneta permite observar este espectáculo da perspectiva, já reforçada pelo texto, do carácter satírico da personagem.
Se o espectáculo vive do texto, nesta proposta vive também da imagem marcada da marioneta no jogo incessante entre actor e manipulador. É a personagem tipo que mais nos une, nesta intemporalidade de crítica social.

RESUMO HISTÓRICO.
"Auto da Barca do Inferno" foi realizado 12 vezes em 9 locais distintos para um público de 1767. Na sua digressão, participou em 2 festivais e encontros.
FESTIVAIS | ENCONTROS VISITADOS

MAR-MARIONETAS - Festival Internacional de Marionetas de Espinho I - 2006 (Junta de Freguesia de Espinho)

Festival de Teatro em Vila do Conde Pés no Palco - 3ª Edição - 2006 (CCO - Círculo Católico de Operários de Vila do Conde)



Sem comentários:

Publicar um comentário