16.12.12

*16 de dezembro*


autor. Marisa Mata
título. "A história do eterno abraço" (ou da mãe e da filha e de uma camisola às risquinhas)





[técnica. objecto camisola às risquinhas que abraça duas pregadeiras especiais]


 “Haverá abraço mais ETERNO que o 1º que uma mãe dá ao seu bébé acabado de nascer?” 


 Foi com esta pergunta que descobri com que peça especial poderia surpreender, no seu aniversário, aquela que me deu o 1º abraço que recebi na vida! 


 Dos requisitos Peça especial + Momento especial + Tecido especial eis que surgiu o pedido de uma pregadeira Eterno Abraço cujos personagens seriam uma mãe e uma filha. 


 Só faltava mesmo um tecido que fosse realmente especial, algo que representasse a camisola de gola alta às risquinhas que a minha mãe vestia naquele 26 de Janeiro quando p’la 1ª vez me abraçou, a mesma camisola que tantas vezes levei para a escola com o propósito de surpreender os colegas ao contar a minha história: “Esta era a camisola que a minha mãe tinha vestida quando eu nasci!” 


 Foi então que aquele pedacinho de tecido que guardei, por exactamente muito se assemelhar ao da camisola com que vim ao mundo, saiu da caixa dos tecidos onde parecia estar condenado a ficar esquecido e se transformou na matéria-prima de um pedido muito especial! 


 O pedido foi abraçado com entusiasmo e das mãos da Vânia nasceram 2 abraços: um representando o 1º abraço entre a mãe e a sua bébé e outro representando um dos muitos abraços entre mãe e filha, dados ao longo de uma vida de amizade e cumplicidade. 


 O presente foi recebido com surpresa e alegria e, claro está, agradecido com muitos abraços! 


 Já não visto a camisola das risquinhas para contar a minha história na escola mas em compensação agora somos duas de pregadeira ao peito, orgulhosas da nossa peça tão única e especial e é uma alegria sempre que temos oportunidade de contar a história do nosso eterno Eterno Abraço


Texto. Marisa (a filha) e Bia (a mãe)

Sem comentários:

Publicar um comentário