17.12.13

17 de dezembro I Janela Adentro

autor. Janela Adentro
título. os ponteiros da lua relógio



[objecto. relógio]


 todos viram como este Calendário do Advento sorriu para esta rua da cidade no dia 1 de dezembro. para os mais atentos devem ter visto com certeza o Calendário a mover-se. moveu-se como os ponteiros de um relógio. moveu-se como o tempo. moveu-se como a lua. desde esse dia uma janela trocada com aquela. acolá outra que dava lugar à de cima. esta e aquela também trocaram de lugares. tic-tac, tic-tac fazia o relógio. o carteiro que não chegava com o habitante da outra janela dali. tic-tac o relógio fazia. tic-tac, tic-tac, tic-tac o tempo corria. esse tempo que ás vezes parece não ter fim e que de outras vezes parece que não passa nunca. e se esse relógio foi colocado inicialmente na casa 13. passou para a casa 20. para voltar a recuar e estar hoje neste mesmo dia. no mesmo lugar desde esse dia ele continua na casa 17. 
 nesta casa que abriga janelas... nas janelas que habitam esta casa o relógio foi assumindo o seu lugar neste Calendário do Advento. se é verdade que foi mudando de lugar procurando adiar o tempo. também é verdade que o tic-tac, tic-tac que fazia o mantinha num lugar certo. o desta janela e não noutro lugar qualquer. e já não fazia sentido continuar a mudá-lo daqui para ali. dali para aqui. olhei-o de novo. ele encontrou o seu próprio lugar. a janela do dia 17 de dezembro é agora a sua casa. se de dia lá está ele sorrindo, de noite ganha um encanto especial iluminado pelo brilho desta janela e pelo brilho do luar. alguém disse por estes dias: “Aquele relógio parece a LUA”. gostei. numa janela habitada por 24 objectos-história, na mesma janela onde outrora habitou um navio, imaginar que a própria lua estava a habitar esta janela era algo extraordinário. tenho uma lua na janela. e ela andou de janela em janela. num tic-tac de tempo. num tic-tac de movimento. num tic-tac crescente. num tic-tac até escolher o seu momento... o meu relógio é a lua e hoje este relógio é esta lua cheia. 

Sem comentários:

Publicar um comentário